Thiago Monteiro e Hugo Calderano jogam Aberto do Qatar

Foto: COB/Divulgação

Hugo Calderano não estará sozinho na etapa principal do torneio individual do Aberto do Catar, competição platinum do Circuito Mundial de Tênis de Mesa. Um outro brasileiro brilhou em Doha, nas fases preliminares, e também estará entre os 32 mesa-tenistas que brigam pelo título a partir desta quinta-feira (28): Thiago Monteiro, 37 anos, o mais experiente entre os jogadores de ponta da modalidade no Brasil.

Ele não deu chances a ninguém nos dois dias iniciais de disputa. Venceu na terça-feira (26) o nigeriano Quadri Aruna, 25°do ranking mundial. Na quarta, foram mais duas vítimas. Primeiro, o italiano Niagol Stoyanov, num emocionante 4 a 3 (6/11, 11/9, 11/8, 13/11, 6/11, 8/11 e 12/10). Depois, Liao Cheng-Ting, de Taiwan, superado por 4 a 1 (12/14, 11/7, 11/4, 11/8 e 20/18).

O próximo adversário do cearense será o sul-coreano Jang Woojin, número 11 do ranking mundial (a Federação Internacional de Tênis de Mesa ainda não divulgou o horário da partida).

“Não mudou muito a minha confiança na mesa. Tanto esse adversário de amanhã quanto os outros que enfrentei são bons. Eu não estou pensando muito em ganhar ou perder. Só estou feliz de estar jogando”, revela Monteiro, que terminou a temporada 2018 fazendo um grande Campeonato Pan-Americano. “É só treinar duro e fazer o que pode. Nem sei se estou melhor fisicamente ou mentalmente, eu fiquei feliz de vir e quando é assim as chances de jogar bem aumentam um pouco”, diz.

Já Hugo Calderano, atual vice-campeão do torneio, estreia contra o belga Cedric Nuytinck, 68° do mundo, às 13h15. “O Aberto do Catar sempre é um dos mais disputados do Circuito e nesse ano não é diferente. De qualquer forma, com a mudança do ranking e, principalmente, por ser o ano pré-Jogos Olímpicos, serão muitas competições difíceis e muito disputadas pois todos os melhores do mundo querem buscar uma boa posição no ranking em Tóquio 2020. ?E é uma boa oportunidade de jogarmos boas partidas na reta final da preparação para o Mundial”, disse Calderano.

Sexto do ranking mundial há quatro meses, grande nome do tênis de mesa na Alemanha, Calderano mostrou ao longo do ano passado que era capaz de enfrentar o número 1 do mundo e vencer com autoridade.

“Um bom desempenho e bons resultados sempre aumentam a expectativa dos torcedores e a atenção dos adversários, mas isso faz parte do esporte. Sei que há uma expectativa por causa do meu resultado em 2018, mas isso não muda a maneira como eu encaro a competição.  Num Aberto Platinum, com os melhores do mundo participando, é preciso foco total desde o início, independentemente de resultados anteriores”, completou. (Do COB)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*