Dupla do interior de SP vence 24h Brasil Ride de MTB

Carlos Paixão e Clarita Balestrin venceram MTB em Botucatu - Ney Evangelista/Brasil Ride

O município de Botucatu foi palco no fim de semana das 24 Horas Brasil Ride de MTB, prova que coroou os ciclistas Carlos Henrique Paixão e Clarita Balestrin como campeões da edição de 2019, nas categorias individuais. O evento teve um tempero a mais neste ano, por ser “warm-up” para o Campeonato Mundial 24 Horas Mountain Bike Solo, programado para 27 e 28 de julho, em Costa Rica, a 335km de Campo Grande, realizado pela primeira vez no Brasil.

Paixão, de Jundiaí-SP, garantiu o bicampeonato do evento ao completar 25 voltas (290 km), em 22h34min59seg. Já Clarita, atleta da casa, garantiu o título inédito em sua carreira, após dar 17 voltas (197,2 km) no circuito, em 22h32min01. O top 3 da prova solo no masculino teve ainda Rodrigo Lazo (22 voltas em 23h11min23seg) e Marcelo Soares (22 voltas em 23h36min05seg). Completaram o pódio João Vitor (17 voltas) e Raphael Martignoni (15 voltas), em quarto e quinto lugares, respectivamente.

“O circuito mudou bastante de sábado (30) para o domingo (30). Parece que ficou mais pesado para pedalar e o sol desta manhã nos deu um cansaço ainda maior”, contou o bicampeão. “Competir no Mundial 24H Solo de Costa Rica será a realização de um sonho. Vamos treinar, fazer força nos próximos meses, para chegar lá e ir para cima dos adversários, em julho”, completou Carlos Henrique, da cidade vizinha Avaré, especialista em provas do gênero.

Na disputa feminina, Clarita Balestrin teve ao seu lado no pódio as ciclistas Giovana Pires (14 voltas), Ana Paula Pereira (12 voltas), Luciane de Almeida (8 voltas em 11h27min23seg) e Suelen Couto (8 voltas e 22h56min38seg). “Em Costa Rica será outra história. O percurso tem características bem distintas daqui de Botucatu, então é hora de treinar bastante, focando o tipo de pista que teremos no Mato Grosso do Sul, mais rápido e veloz”, disse Clarita.

“Diferente do interior de São Paulo, em Costa Rica de noite esfria bastante. O segredo é manter sempre a cadência e cada volta, e não dormir no período de 24 horas. Quando estive no Pré-Mundial, em 2018, tive o privilégio de pedalar acompanhado por uma Arara Azul. Foi fantástico”, concluiu a vencedora de Botucatu. (Com assessoria)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*